Os erros mais comuns no início de carreira

A entrada no mercado de trabalho, um momento marcante para todos os jovens profissionais, tem tanto de entusiasmante como de aterrador. Nesta etapa que se espera cheia de experiências e aprendizagens, alguns erros são também cometidos. É sobre esses erros que iremos falar de seguida.

Se está prestes a ingressar, pela primeira vez, no mercado de trabalho, descubra quais os erros mais comuns de acontecerem em início de carreira e perceba como os evitar, ou aprender com eles.

O site Business Insider compilou uma lista com os erros mais comuns cometidos por jovens (na casa dos 20’s) em início de carreira e que pode (pelo menos) tentar evitar.

Pensar que os 20’s não contam

Por muito jovem que seja, tal não significa que possa deixar o tempo passar. É precisamente nesta altura que começa a dar os primeiros passos na sua vida profissional e a delinear o seu futuro, carreira e percurso. A forma como vai encarar a sua carreira nesta fase, irá ser determinante para a sua carreira no futuro.

Falhar no networking

O networking, enquanto ferramenta de trabalho é muito importante e, é no início da sua carreira que deverá começar a trabalhar nele, construindo a sua base de rede de contactos, podendo estes serem fulcrais para o seu sucesso profissional. Começar a construir a sua rede de contactos enquanto estudante é o ideal. Desta forma, entra no mercado de trabalho já com alguns contactos que podem ser-lhe úteis para conseguir eventuais oportunidades de emprego. Os eventos de networking, como feiras de emprego, por exemplo, são, igualmente, boas oportunidades para criar uma boa rede de contactos.

Deixar de investir na formação

Um dos maiores erros dos atuais jovens profissionais é pensarem que, depois de entrarem para o mercado de trabalho, o conhecimento que têm é suficiente. Nos dias de hoje, esse pensamento não poderia estar mais errado. De facto, um profissional tem tanto mais valor, quanto mais valor acrescentar à sua empresa e isso deve-se muito às competências que possui. Para isto, aposte em cursos de formação e workshops, garantindo que evolui enquanto profissional e aumenta as suas possibilidades de sucesso profissional.

Pensar que se sabe tudo

Uma certa dose de arrogância é normal nos 20, contudo, é importante que reconheça e tenha noção do seu verdadeiro potencial e – acima de tudo – que não sobrevaloriza as suas capacidades. Por muito que julgue saber, ainda está muito “verde” e tem muito para aprender antes de deixar a sua marca no mundo do trabalho. A aprendizagem é constante e contínua ao longo da vida.

Precipitar-se para aceitar um emprego

Nesta fase, qualquer jovem ambiciona entrar para o mercado de trabalho o mais rápido possível. Mas, ainda que seja importante ter emprego e garantir um meio de subsistência, é importante que se analisem as ofertas e não se precipitem a aceitar “qualquer” oferta. A pressa é inimiga da perfeição e ao aceitar um emprego sem pensar, pode estar a hipotecar as suas hipóteses de sucesso.

Ser competitivo

A competitividade faz parte do contexto de trabalho e pode até ser boa, podendo funcionar como uma motivação. Há, contudo, que ter alguns cuidados, principalmente quando ainda se é um jovem inexperiente. Tenha sempre em mente que todos os profissionais têm percursos de carreira, objetivos, ideais e valores diferentes. Ao comparar-se aos seus colegas, vai fazê-lo perder de vista o que realmente importa nesta fase: a sua satisfação profissional e a sua motivação.

 

Fonte: Ekonomista